CCBEU | 16 de dez Existe um assunto que vem causando muitos questionamentos e intrigas na internet: os trolls. E claro que nós, da Equipe CCBEU, fomos atrás de soluções para esses problemas.

NÃO DEIXE QUE ACONTEÇA COM VOCÊ

Existe um assunto que vem causando muitos questionamentos e intrigas na internet: os trolls. E claro que nós, da Equipe CCBEU,  fomos atrás de soluções para esses problemas.

Segundo o Centro de Pesquisa Pew, quase 60% da população já sofreu algum tipo de violência na internet, seja xingamentos, ameaças, perseguições ou até assédios. E os trolls podem ser os maiores culpados de toda essa história.

Nós sabemos que a definição de “troll” nos leva a um ser mitológico solitário, mas o jornal The Guardian tem uma outra definição: é aquela pessoa que busca, de maneira incansável, sabotar conversas racionais por diversos meios, provocando e sendo prepotente.

O grupo de pesquisadores afirma que a ação que os trolls fazem está tão impactante que notícias extremamente importantes estão perdendo seus significados pela interpretação que o leitor faz após ver comentários feitos por eles [trolls]. Então, como você deve se comportar na internet, especialmente se gosta de mídias sociais, tem seu próprio site ou trabalhar em jornalismo?

DESATIVE COMENTÁRIOS

Facebook e Youtube são exemplos de redes sociais que permitem que o administrador bloqueie toda a parte de comentários. Sabemos que isso pode afetar as pessoas que precisam de feedback daquilo que transmitem. Para esse tipo de pessoa, uma outra solução. Você pode aumentar suas definições de privacidade, assim, apenas pessoas que você autorizar poderão segui-lo e fazer comentários. Isso também serve para o Twitter e Instagram, grandes redes sociais que sofrem com a ação dos trolls.

Após enfrentar grandes problemas, o site Popular Science decidiu tirar sua área de comentários do ar, em 2013, afirmando que “o trabalho cínico de minar os alicerces da doutrina científica está sendo feito agora sob nossas próprias matérias”, disse a diretora de conteúdo on-line da revista, Suzanne LeBarre.

Outros grandes nomes da mídia como National Journal e The Daily Beast também retiraram suas áreas de comentários após serem prejudicados por ações parecidas.

IGNORE OS TROLLS

Uma outra maneira de evitar maiores constrangimentos é ignorar o inicio deles. A intenção de todos os trolls é que a vitima fique com raiva, frustrada e claro, responda de maneira grosseira para assim, eles terem ainda mais o que falar. Quando você os ignora, faz com que as razões para tal perseguição não continue.

De acordo com o estudo do Centro de Pesquisa Pew, 60% dos entrevistados preferiram ignorar a perseguição on-line.

ENVOLVA-OS

Alguns jornalistas respondem. Uns de maneira agradável e educada. Outros de maneira tão grossa quanto o comentário deles. Alguns meses atrás uma jornalista se revoltou quando viu uma página de humor no Twitter, feita pelos trolls, com nome e foto de seu pai que já havia falecido.

A mesma escreveu uma carta de repúdio e extrema tristeza e fez com que o troll tivesse acesso à ela. Depois de muita repercussão, a atitude do troll a surpreendeu. Ele foi atrás do contato dela e eles conversaram horas sobre o motivo que ele havia feito aquela conta.

Ele afirmou que faz isso para esconder a frustração pessoal e claro, para se divertir com o sofrimento alheio.